sexta-feira, outubro 06, 2006

Só eu mesmo!

Santo André, Lula e Rio de Janeiro

Eita que ontem a noite foi valorosa.

A livraria/centro cultural Alpharrábio só não foi ao chão porque a estrutura lá é forte. Estava lançando o meu segundo livro “85 Letras e um Disparo” em Santo André. Pra começar eu e o editor Flávio chegamos cedo demais, ainda ia dar três e meia da tarde, e o lançamento seria às cinco e meia. Sendo assim, ficamos batendo papo, e o que não falta ali é assunto. Claro, um local onde tem café, sebo, livraria, centro cultural e gente bonita com muita cultura, tem assunto pra mais de mês.

Aos poucos foram chegando os poetas. Chegou uma hora que eu já estava me sentindo sozinho, foi aí que começou a chegar os contistas:

- Porra, até que enfim. Achei que só ia dar eu metido a contista.

Começamos um sarau, ou melhor, leitura de poesia, coisa solta, vagabunda e sem relatórios.

O mais novo ali era eu, o autor, o restante era tudo de trinta e quatro anos pra cima. Tomamos conta da Alpharrábio, aliás, já era nosso mesmo, a Dalila, poetisa e proprietária de lá, é maravilhosa, gente finíssima, e além de ler um conto meu, o mesmo que dá título ao livro, ainda nos deixou muito á vontade.

Eu me empolguei, recitei duas poesias e ainda li o conto “Eu, Prostituta?” de minha autoria. Empolguei-me tanto que até me meti a ator. Só rindo mesmo.

Era sete e meia e ainda tinha gente chegando. No fim, ainda veio o Olívio Basievictus, poeta, autor de 29 livros. Um cara de 44 anos maluquinho da Silva, que eu não via há uns dois anos.

Nas conversas que tivemos lá, eu e toda a galera de escritores e poetas combinamos e firmamos um intercâmbio cultural entre ABC e Suzano.

Trocamos e-mails, telefones, palavras e livros. Tá feito.

Antes de ir embora recebi três ligações, uma do cordelista e amigo Moreira de Acopiara, outra do Marcelo Montenegro, ator, poeta e amigo, e a terceira da vereadora Elzinha, de Ribeirão Pires.

Só alegria.

Lula

E putz grila, num é que tão querendo derrubar o nosso presidente. Juntou uma turma de intelectuais que tem acesso na mídia, e tão metralhando o Lula. E o que tem de gente reproduzindo e repassando o que eles escrevem, não é brincadeira. Tá dando até dó meu Deus.

E o pior é que esses intelectuais fazem parte da elite, racista e preconceituosa, que querem um presidente para governar pra eles e colocar problemas nas nossas vidas.

E se o candidato da direita ganhar, coitado do povo nordestino que apóia o Lula. O Alckmin nem vai olhar pra eles.

Portanto, é hora de arregaçar as mangas e ir pras ruas. Mas olha aqui, num é o modo de falar não viu?

Tô incitando você á ir pra rua mesmo, convencer pai, mãe, filhos, tias, vizinhos e tudo quanto é gente. Vai ter que ser assim, se não querermos ver o Brasil privatizado e os pobres abandonados.

Falo também pela cultura, já que as leis de incentivo vão ser para patrocinar as festas e os Shows dos famosos elitizados.

Rio de Janeiro

E tô indo daqui á pouco pra rodoviária, onde vou me encontrar com a Dinha, o Sílvio Diogo, e a Maria Teresa, para embarcarmos no ônibus da meia noite rumo ao Rio de Janeiro.

Lá vamos participar de um encontro no domingo, com escritores, poetas, músicos, artistas plásticos, fanzineiros e multimídias. Enquanto no sábado vamos conhecer lugares, trocar contatos, e se articular.

O encontro vai acontecer no Espaço Leda Rios, dentro do Centro Cultural Atlântica, na Lapa, Centro do Rio de Janeiro.

Quem tiver por lá não deixe de comparecer, será um dia riquíssimo de cultura e pessoas maravilhosas.

Um comentário:

umdasul disse...

Confira a foto do escritor Sacolinha no blogger:
www.robsoncanto.blogspot.com