sábado, julho 22, 2006

Fim de férias

Então é o seguinte; está terminando as minhas férias, da facul e do trampo. Estava previsto pra mim ir á Bahia, com palestra marcada e tudo mais, pegar uns contatos, conhecer Salvador e várias outras coisas. Mas infelizmente a grana tava curta, e tive de investir no livro novo. Sem dinheiro mas com muita disposição, aproveitei as férias do jeito que pude: adiantei um monte de coisas, dei um belo rolê em São Paulo, andei de bicicleta á pamparra, empinei pipa, dei umas voltas com os meus primos pequenos, fiz uns bons rolês com a minha noiva, pulei fogueira, comi batata doce assada, entre várias e várias outras atividades de que não precisei gastar muito dinheiro, graças a criatividade desse escritor doidinho da silva. E pra finalizar essas férias, hoje ainda empino mais um pouco de pipa (quando a molecada vê eu colocando pipa no alto eles já tremem na base), á noite vou na festinha de aniversário de 2 anos da filha do Mancha, um camarada que conheci quando vim morar em Suzano. E amanhã estarei dando uma palestra às 10h no Presídio de São Miguel, através do projeto Leitura Livre dos amigos Wagner Gasoli e Durvalino. Depois parto para Barueri na Zona Oeste, na casa da minha noiva. Na segunda de manhã parto de lá para a Praça Ramos, no Teatro Municipal, onde me encontrarei com o poeta Sérgio Vaz e o escritor Alessandro Buzo para uma entrevista à Folha de São Paulo. Á seguir vamos ao Itaim Paulista, onde serão tiradas as fotos para a matéria. Posteriormente vamos tomar um cafezinho, pelo menos eu né? Porque o Buzo e o Vaz, vão de cerveja mesmo. Eita laiá. Aí sim volto lá pra Secretaria de Cultura. E quarta-feira estarei na Cooperifa junto com o pessoal do Literatura no Brasil. É isso!
Esse aí na foto comigo é o meu amigo Moacyr Scliar, ele é quem assina o prefácio do livro 85 Letras e um Disparo, que sai agora em agosto.

7 comentários:

Digão disse...

vc tem futuro rapaz, vai chegar longe

Anônimo disse...

O Moacyr Scliar é o escritor que mais representa o Brasil. Asua literatura é totalmente sem maquiagem. Ótima escolha amigo Sacolinha.

aNGÉLICA nUNES disse...

NÃO TÔ AGUENTANDO MAIS DE TANTA ANSIEDADE. QUANDO SAI ESSE LIVRO?

Silvio Poeta disse...

que férias da hora mano e tem gente q reclma q não tem dinheiro

Hildebrando disse...

E aí meu truta, firmão!!!

Tó aqui n o sertão do Piauí e desde já dou os meus parabéns pela sua luta conra os moinhos que cegam os que dizem estar com os olhos abertos!!!
Estou escrevendo um livro de crônicas sobre a minha "estadia no inferno", quem sabe um dia eu possa lançar por minha conta mesmo!!
No mais manda um salve pro Nego Cosme e diz pra ele que é tudo nosso!!!
Hildebrando Cesario Penteado

Francisco Rossit disse...

Sacolinha é um escritor nato, na natureza do termo. Ele conseguiu já com seu primeiro livro demonstrar que tem coisas a mostrar que só quem sente essa veia marginal tem, dissecando em prosa o que nossos ouvidos fingem não ouvir no dia-a-dia. E também conseguiu me convencer que ser um bom leitor não me faria ser nem sequer um escritor medíocre, precisa-se tino, malandragem... Boa sorte.

alezanasi disse...

Sacolinha, prá variar eu devorei o seu segundo livro. Nossa o primeiro já foi bom mas esse segundo ficou refinado meu caro!Eu entro num mundo novo, chocante mesmo, mas que mostra a vida como ela é...muitas vezes duríssima.Quero mais um livro pro ano que vem de presente,
parabéns de coração e continue firme na sua caminhada,
bjos, Lê